XVII Congresso Sul Brasileiro de Medicina Intensiva

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Mortalidade de pacientes admitidos por sepse em uma UTI geral de um hospital de alta complexidade.

Objetivo(s)

Avaliar a mortalidade geral e os fatores associados à maior mortalidade dentre os pacientes admitidos por Sepse na UTI geral do Hospital Santo Antônio, em Blumenau-SC.

Métodos

Foram incluídos no estudo todos os pacientes admitidos por sepse na UTI geral no período de 01 de novembro de 2015 à 31 de maio de 2016. Foi avaliada a mortalidade geral em 90 dias dos pacientes admitidos no período e as variáveis foram analisadas com intuito de verificar os fatores de associação com maior mortalidade.

Resultados

Dos 117 pacientes incluídos no estudo, 51 (43,59%) pacientes evoluíram à óbito durante os 28 primeiros dias. Ao final de 90 dias, 58 (49,57%) dos 117 pacientes evoluíram à óbito. Houve aumento da mortalidade em faixas etárias mais elevadas (p=0,0314) e em pacientes com escore SOFA mais elevado no momento da admissão (p=0,0011). Foram obtidas maiores taxas de mortalidade nos grupos de pacientes com DPOC (60%; OR:1,709; p=0,2424), AIDS (71,4%; OR:2,688; p=0,2491), portadores de tumores sólidos (60,8%; OR:1,767; p=0,23) e neoplasias hematológicas (69,2%; OR:2,525; p=0,1428), e naqueles cujo o foco de infecção era pulmonar (56,9%; OR:2,178; p=0,0452).

Conclusão

As taxas de mortalidade por sepse na UTI são consideradas elevadas, apesar da alta complexidade de nossos pacientes. É possível que haja correlação entre aumento da mortalidade e idade mais elevada, assim como em pacientes com escore de SOFA mais elevado na admissão e em pacientes com infecção pulmonar.

Referências

Área

SEPSE/Infecção

Instituições

Autores

Rafael Amorim da Costa