XVII Congresso Sul Brasileiro de Medicina Intensiva

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Relação entre comportamento doentio e prognóstico em sepse experimental

Objetivo(s)

Avaliar o comportamento doentio (sickness behavior) e sua relação com o prognóstico em modelo experimental de sepse

Métodos

Ratos Wistar machos de 2 meses de vida foram submetidos ao modelo de sepse por ligação e perfuração cecal (grupo sepse; n=18) ou somente laparotomia mediana (grupo controle/sham; n=12). Os animais foram acompanhados diariamente, durante 11 dias, para avaliação do comportamento doentio, severidade da sepse e sobrevida. Posteriormente para as análises o grupo sepse foi subdividido entre os animais que sobreviveram e os que morreram durante os dias de avaliação. O terceiro dia de avaliação foi escolhido, pois foi o dia que não foi observado diferença na severidade da sepse entre os três grupos. O comportamento doentio foi determinado pelos seguintes critérios: hipotermia(temperatura auricular), anorexia(peso corporal e consumo de ração), anedonia(consumo de glicose 2% e água) e letargia(teste de campo aberto por 5min). A severidade da sepse foi determinada pelo sistema de pontuação proposto por Gonçalves-de-Albuquerque et al, 2016. Os dados foram avaliados por ANOVA de uma via com teste de Tukey.

Resultados

Os animais com sepse apresentaram anorexia, com menor consumo de ração(P<0,001) e perda de peso corporal(P<0,001), sendo possível observar que os animais que não sobreviveram tiveram esse comportamento mais acentuado(P=0,01). Bem como a letargia que foi evidenciada no grupo sepse e acentuada no grupo que não sobreviveu(P<0,01). Os animais com sepse também apresentaram anedonia(P=0,01), com diminuição do consumo de água e de glicose, porém não houve diferença entre os subgrupos. Não foi observado alteração na temperatura corporal.

Conclusão

Alterações comportamentais podem ser observadas durante o desenvolvimento da sepse e podem auxiliar no prognóstico/desfecho da doença. Neste trabalho podemos evidenciar a relação entre o comportamento doentio e a sobrevida dos animais em um relevante modelo de sepse.

Referências

Área

SEPSE/Infecção

Instituições

Autores

Leandro Moraes Garbossa, Mariana Pereira de Souza Goldim, Aloir Neri de Oliveira Junior, Khiany Mathias, Maria Eduarda Fileti, Raquel De Carli, Amanda Della Giustina, Fabricia Petronilho