XVII Congresso Sul Brasileiro de Medicina Intensiva

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Perfusão tecidual pode ser utilizada para predição de mortalidade em unidade de terapia intensiva?

Objetivo(s)

Comparar a acurácia do APACHE II com os de indicadores de perfusão tecidual nas primeiras 24 horas de internação para predição de mortalidade em uma unidade de terapia intensiva

Métodos

Foi realizado um estudo de coorte prospectiva onde foram analisadas as variáveis diagnóstico de internação, idade, sexo, caso cirúrgico ou não-cirúrgico, APACHE II, índice de perfusão tecidual (IP), lactato sérico, saturação venosa central de oxigênio (SvcO2) e a diferença venosa-arterial de dióxido de carbono (DeltaPCO2). Este trabalho foi aprovado pelo comitê de ética em pesquisa sob o CAAE 50687515.6.0000.5369.

Resultados

Foram avaliados 126 indivíduos com média de idade de 62,2±16,8 anos, sendo sexo masculino o mais prevalente (56,3%). A pontuação no APACHE II foi de 13,2±6,6, o tempo de internação médio dos casos analisados foi 11,5±13,3 dias e a mortalidade foi de 24,6%. As variáveis que estiverem relacionadas ao óbito foram apenas a idade com OR=1,038 (IC 95%: 1,007-1,069) e p=0,015, casos não-cirúrgicos com OR=5,282 (IC 95%: 2,067-13,496) e p=0,001, pontuação no APACHE II com OR=1,130 (IC 95%: 1,055 -1,211) e p=0,001, tempo de internação com OR=1,038 (IC 95%: 1,012 -1,064) e p=0,004. Não houve associação estatística entre as variáveis relacionadas à perfusão tecidual e óbito. Na análise multivariada, o estudo elaborou um modelo de avaliação prognóstica utilizando os casos não-cirúrgicos e a SvcO2 que, quando comparado com o APACHE II (Área sob a curva ROC = 0,727), se mostrou mais acurado para previsão de mortalidade em UTI (Área sob a curva ROC = 0,803).

Conclusão

Os indicadores de perfusão tecidual analisados não apresentaram relevância estatística como preditores de mortalidade nas primeiras 24 horas quando analisados de forma independente no estudo. O escore APACHE II apresentou-se como uma boa forma de avaliação prognostica para os pacientes, assim como o modelo proposto no presente estudo para previsão de mortalidade, que quando comparado ao escore APACHE II, apresentou uma maior acurácia e uma área sob a curva ROC mais elevada.

Referências

He H, Long Y, Liu D, Wang X, Zhou X. Clinical classification of tissue perfusion based on the central venous oxygen saturation and the peripheral perfusion index. Crit Care. 2015; 19(1): 330.

Área

Hemodinâmica

Instituições

Autores

Kelser Souza Kock, Carlos Eduardo Pereira Carvalho, Jefferson Luiz Brum Marques