XVII Congresso Sul Brasileiro de Medicina Intensiva

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Comparação entre escalas de sedação em pacientes hospitalizados em uma unidade de terapia intensiva

Objetivo(s)

Correlacionar o nível de sedação entre as escalas: agitação e sedação de Richmond (RAAS), Ramsay (RS), avaliação da atividade motora (MASS), sedação e agitação (SAS) e Bloomsbury em uma unidade de terapia intensiva

Métodos

Foi realizado um estudo transversal que analisou o nível de sedação em pacientes com sedação contínua em bomba de infusão, após 48 horas da admissão e até o 5º dia de internação. Este estudo foi aprovado pelo comitê de ética em pesquisa sob o CAAE: 39174314.9.0000.5369.

Resultados

Foram avaliados 72 indivíduos com média de idade de 59 (DP±17) anos, média de peso 74 (DP±13) kg, sendo 52 (72,2%) homens e 20 (27,8%) mulheres. A principal causa de internação foi As drogas utilizadas para sedação foram fentanil e mizadolam. A concentração de midazolam utilizada foi de 50 mg/10ml, com principais vazões de infusão de 10 ml/min (40,3%), 20 ml/min (27,8%) e 15 ml/min (18,1%). A concentração de fentanil foi de 0,5mg/10ml, com vazões de infusão de 10 ml/min (45,8%), 20 ml/min (23,6%) e 15 ml/min (15,3%). Os níveis de sedação mais comuns foram RASS -5 (77,6%), Ramsay 6 (77,8%), Bloomsburry -3 (77,8%), SAS 1 (77,8%) e MASS 0 (77,8%). Houve forte correlação entre todas as escalas (r>0,9). Para analisar o efeito das drogas sedativas no nível de sedação, foi realizada uma regressão linear múltipla entre os valores de vazão de infusão por kilograma (ml/kg.min) de midazolan e fentanil e escala RASS. Foi obtida uma correlação fraca negativa (r=-0,98), sem significância estatística (p=0,743).

Conclusão

Este estudo demonstrou uma prevalência de sedação profunda, demonstrando alto grau de correlação entre as escalas utilizadas. A regressão linear múltipla apresentou baixa correlação preditiva para a pontuação na escala RASS

Referências

Hogarth DK, Hall J: Management of sedation in mechanically ventilated patients. Curr Opin Crit Care 2004, 10:40-6. Fraser GL, Riker R. Monitoring sedation, agitation, analgesia, and delirium in critically ill adult patients. Crit Care Clin 2001;17:1– 21. Lemos J, Tweeddale M, Chittock D. Measuring quality of sedation in adult mechanically ventilated critically ill patients. J. Clin Epidemiol 2000;53:908–19

Área

Multidisciplinariedade

Instituições

Autores

Kelser Souza Kock, Thamy Santos, Samuel Brida Andrade, Vilto Michels Jr