XVII Congresso Sul Brasileiro de Medicina Intensiva

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Especificidades nas habilidades sociais do enfermeiro em terapia intensiva de pacientes queimados

Objetivo(s)

Conhecer as especificidades no uso das habilidades sociais por enfermeiros de um Centro de Tratamento de Queimados.

Métodos

Pesquisa qualitativa do tipo estudo de caso feita num Centro de Tratamento de Queimados de um hospital escola público do Norte do Paraná. Participaram cinco enfermeiros, sendo um de cada turno (manhã, tarde, noite A e noite B) e a chefia de sessão, escolhidos intencionalmente, incluindo-se os estatutários atuantes há pelo menos um ano naquele setor. Após autorização pelo comitê de ética em pesquisa da instituição com CAAE 36415314.8.0000.5231 e parecer nº 822.341, cada enfermeiro foi submetido a uma única entrevista semiestruturada audiogravada e os dados foram tratados pela análise de conteúdo.

Resultados

Identificaram-se duas categorias empíricas: 1) Internação prolongada, em que os entrevistados destacaram que a longa permanência do paciente favorece a criação de vínculos com a equipe, o que fortalece o uso das habilidades sociais pelo enfermeiro. Também mencionaram que tal situação desperta o sentimento positivo neste profissional, sendo esta uma habilidade social essencial ao cuidado a tal clientela; 2) Geradores de sofrimento no trabalho em terapia intensiva de queimados, na qual os participantes pontuaram que a frequente sobrecarga física advinda de atos cuidativos, bem como o enfrentamento da morte e da dor são fatores deletérios às relações interpessoais no processo de cuidar do queimado, podendo estes comprometer as habilidades sociais utilizadas pelo enfermeiro.

Conclusão

A atuação do enfermeiro em terapia intensiva de queimados requer habilidades sociais profícuas para que o cuidado perpasse questões meramente físicas. Porém, ao mesmo tempo que a internação prolongada favorece a criação de vínculos, o constante contato com a dor, a morte e a sobrecarga física necessária ao cuidado podem ser fatores que interferem negativamente nas relações interpessoais da enfermagem para com estes pacientes, requerendo um olhar constante para intervenções de melhoria relacional na referida especialidade.

Referências

Área

Multidisciplinariedade

Instituições

Autores

Elizângela Santana Santos, Sabrina Aparecida Gomes Pereira, Juliana Helena Montezeli, Eleine Aparecida Penha Martins