XVII Congresso Sul Brasileiro de Medicina Intensiva

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Epidemiologia de infecções relacionadas à assistência à saúde em unidades de terapia intensiva

Objetivo(s)

Caracterizar a ocorrência de Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (IRAS) em Unidades de Terapia Intensiva Adulto.

Métodos

Estudo epidemiológico, descritivo, com pacientes internados em duas Unidades de Terapia Intensiva Adulto de um hospital universitário do sul do Brasil. A coleta de dados deu-se por meio de fichas individuais de notificação de infecções hospitalares, com informações sobre o período de internação até seu desfecho com dados microbiológicos, controle de antimicrobianos e utilização de dispositivos invasivos, digitados diretamente em planilha Excel®, dispensando instrumento de coletas. Os dados referem-se ao período de janeiro a dezembro de 2016.

Resultados

Analisaram-se as notificações de 144 pacientes, totalizando 229 infecções hospitalares. Houve mais de uma infecção detectada em sítio diferente ou reincidência. Dessas, 157 (68,5%) relacionaram-se à utilização de dispositivos invasivos. Constatou-se que a média de dias para desenvolver infecções foi de 16,3, com mínimo de 1 e máximo de 56 dias. A IRAS mais prevalente foi pneumonia associada à ventilação mecânica (62,4%), seguida de infecção do trato urinário (32%). Em relação à evolução das infecções, 45,8% (n=105) evoluíram para sepse; dos 144 pacientes, 59,7% foram a óbito.

Conclusão

Percebe-se a importância das ações de controle de infecções no âmbito hospitalar, diante do elevado número de ocorrências de IRAS, sobretudo pneumonia associada à ventilação mecânica. Estes dados contribuem para um melhor planejamento de ações de comissões de controle de infecções hospitalares.

Referências

Área

SEPSE/Infecção

Instituições

Autores

Jéssica Heloiza Rangel Soares, Lucas Marcelo Meira Silva , Dalila Ledo Ferreira, Renata Aparecida Belei, Denise Andrade Pereira Meier