XVII Congresso Sul Brasileiro de Medicina Intensiva

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Mieloma múltiplo diagnosticado após insuficiência renal aguda por nefrite intersticial após uso de anti-inflamatórios em paciente imunossuprimido: Relato de caso

Objetivo(s)

Relatamos um caso de paciente com imunossupressão prévia e insuficiência renal aguda após uso de anti-inflamatórios não esteroidais que foi diagnosticado com mieloma múltiplo incipiente após biopsia de medula com achados compatíveis.

Métodos

Paciente masculino, 50 anos, HIV positivo. Iniciou quadro de sugestivo de parotidite e fez uso de anti-inflamatórios não esteroidais. Retorna ao pronto-socorro com febre, dor lombar bilateral e oligúria. Laboratório com aumento de creatinina e uréia. Apresentou, na biópsia renal, lesão por nefrite intersticial aguda. Achados de laboratório e imagem sugestivos de mieloma múltiplo, hemograma com roleaux eritrocitário e plasmócitos em sangue periférico, hipercalcemia, eletroforese de proteínas com pico monoclonal e lesão lítica em radiografia de crânio. Confirmado mieloma múltiplo após biopsia de medula óssea.

Resultados

O mieloma múltiplo é uma neoplasia progressiva de células B, caracterizada pela proliferação desregulada e clonal de plasmócitos na medula óssea, os quais produzem e secretam imunoglobulina monoclonal ou fragmento dessa, chamada proteína M. As consequências fisiopatológicas do avanço da doença incluem: destruição óssea, falência renal, supressão da hematopoese e maior risco de infecções. O mieloma múltiplo representa 1% de todas as neoplasias malignas, sendo a segunda neoplasia hematológica mais comum. A dor óssea é uma das manifestações mais encontradas. Astenia, perda de peso, febre, hepatoesplenomegalia também relacionadas. A presença de insuficiência renal ao diagnóstico está relacionada a grande carga tumoral, sendo a apresentação variável no início da doença. Infecção é considerada a principal causa de mortalidade. O aumento da incidência relaciona-se ao maior conhecimento da história natural da doença, a melhora dos recursos, ao aumento da expectativa de vida mundial e à exposição crônica a agentes poluentes.

Conclusão

O mieloma é uma neoplasia progressiva e deve ser diagnosticado e tratado o mais rápido possível a fim de aumentar a sobrevida ou proporcionar mais qualidade de vida. O tratamento deve ser instituído assim que possível.

Referências

Área

Renal, metabólico e nutrição

Instituições

Autores

Camila Anton, Júlia Bortolin, Ana Carolina Pickcius Valoja de Collo, Luís Augusto Rovela Junior, Anderson Zeschau