XVII Congresso Sul Brasileiro de Medicina Intensiva

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Diagnósticos de enfermagem na sistematização da assistência perioperatória

Objetivo(s)

O período perioperatório tem seu início a partir da indicação cirúrgica, perpassando o pré-operatório, intraoperatório e pós-operatório. Para garantir a qualidade e integralidade da assistência prestada, o mesmo deve ser compreendido em sua totalidade e permitir a valorização das particularidades e sentimentos atribuídos pelos pacientes em cada fase. O objetivo do presente resumo é descrever a contribuição do enfermeiro na assistência perioperatória e na identificação dos diagnósticos de enfermagem frequentes em tal período.

Métodos

Trata-se de um relato acerca da atuação e contribuição do enfermeiro frente ao perioperatório em um Hospital Universitário de Santa Catarina no primeiro semestre de 2017. Os resultados foram obtidos através da participação ativa nos cuidados e no acompanhamento de pacientes em perioperatório. Os diagnósticos de enfermagem foram identificados durante a Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE) e elencados com base na Taxonomia NANDA International 2015-2017.

Resultados

O acompanhamento constante dos pacientes pela equipe de enfermagem possibilitou a identificação precoce de sintomas, angústias e riscos, sobretudo durante a visita aos leitos realizada a cada início de turno. Apesar das diversas especialidades cirúrgicas, alguns diagnósticos de enfermagem são frequentes e até esperados no perioperatório. Durante o acompanhamento de pacientes neste período, destacaram-se os seguintes: ansiedade, conforto prejudicado, dor aguda, náusea, integridade tissular prejudicada e risco de quedas. Cabe ressaltar que alguns diagnósticos estiveram presentes em todo o perioperatório, enquanto que outros foram evidenciados apenas em uma ou duas fases.

Conclusão

A partir do reconhecimento das necessidades de cada paciente, o enfermeiro consegue atuar de forma a suprir demandas ou amenizar desconfortos, agindo também na prevenção de eventos esperados. O estabelecimento de vínculo interfere positivamente na percepção do paciente sobre a internação e o perioperatório, visto que remete a um diferencial no cuidado, sensação de conforto e acolhimento em meio aos seus anseios. Deste modo, a SAE é imprescindível para a decisão e registro do plano de cuidado, que deve ser dinâmico e acompanhar a evolução e enfrentamento individual dos pacientes em todas as fases do perioperatório.

Referências

NANDA International. Diagnósticos de Enfermagem da NANDA: definições e classificação 2015-2017. Porto Alegre: Artmed, 2014.

Área

Peri operatório

Instituições

Autores

Caroline Bittelbrunn, Maria Isabel Ozuna Dos Santos, Patrick Schneider